Bo-Kaap em Cape Town e a gentrificação


Bo-Kaap, ou quarteirão malaio, é uma das regiões mais bonitas de Cape Town (ou Cidade do Cabo). Então, o post de hoje é sobre essa região tão bonita e cheia de história.

Bo-Kaap em Cape Town e a gentrificação

Situada aos pés da Signal Hill, Bo-Kaap é uma das areas residenciais mais interessantes de Cape Town. Se você já viu alguma foto desse bairro, tenho certeza de que você não irá mais esquecer das casinhas coloridas fofas.

Bo-Kaap e os habitantes “Cap Malay”

Os primeiros habitantes de Bo-Kaap era composta por escravos e mão-de-obra barata vindos da Malásia, Indonésia e Índia durante os séculos XVI e XVII. Todo esse esse grupo começou a ser chamado de “Cape Malay”, embora nem todos eles fossem da Malásia. Essa população originária do sul e sudeste da Ásia é chamada de “coloured” por aqui.

Depois de 1795, os britânicos tomaram o poder dos holandeses. Dentre uma das reformas feitas pelos britânicos, temos a emancipação dos escravos. Esses escravos, de origem malaia e de outras regiões próximas, começaram a ocupar esse espaço e criaram o que chamamos hoje de Bo-Kaap.

O apartheid e os “coloured”

Curiosamente, durante o apartheid, os moradores daqui foram poupados de se mudar para ceder a casa para os habitantes brancos. Nosso guia, por exemplo, morava no District 6, bem pertinho daqui, e sua família foi obrigada a se mudar para uma township distante do centro da cidade. Para quem quer saber um pouco mais sobre as famosas townships, leia esse texto, ou veja este texto sobre a maior township da África do Sul, Soweto.

Ele nos disse que quando era criança, o carteiro lhe entregou uma carta e pediu que ele desse ao seu pai. Ele ficou o dia todo esperando o seu pai voltar do trabalho e, quando seu pai começou a ler, viu lágrimas escorrendo pelo rosto. Eles teriam que sair da casa que construíram com tanto sacrifício imediatamente. Confesso que quando ele nos contou a sua lembrança, não consegui conter as lágrimas.

Nosso guia nos disse que essas casinhas são coloridas assim por um motivo bem simples: localização. Como os habitantes daqui não sabia ler, para indicar qual casa era a sua, ficava mais fácil dizer que a sua casa era a verde, entre a rosa e a azul, por exemplo. Legal, né?

Os habitantes de Bo-Kaap são, em sua maioria, muçulmanos. No entanto, isso vem mudando, pois a região está cada vez mais valorizada, o que está fazendo com que seus antigos habitantes vendam suas casas e se mudem para as periferias. A nova geração de moradores é principalmente branca.

*Agradecimentos a South African Airways e South African Tourism por mais uma viagem linda pela África do Sul.


More from Deise de Oliveira

Museu de Arte Contemporânea, Niterói – RJ

Muito da qualidade na arquitetura está no poder de síntese, uma aparente...
Read More

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *