Constitution Hill em Joanesburgo


O Constitution Hill (ou Morro da Constituição) em Joanesburgo é um dos lugares que devem estar em seu roteiro pela cidade se a sua intenção é entender um pouco mais sobre a história do Apartheid no país. Ele não é tão conhecido como o Museu do Apartheid, mas também tem a sua importância.

Constitution Hill em Joanesburgo

Antes desse espaço se tornar uma prisão, ele já foi um forte com o intuito de proteger a República da África do Sul (que foi um país independente localizado no sul da África e que hoje faz parte do que conhecemos como África do Sul) de uma invasão britânica.

Como tudo começou

Logo depois da guerra Anglo-Boer (que se deu entre descendentes de holandeses e britânicos) e a vitória dos ingleses, o local começou aos poucos a ser usado como prisão. Aqui foram alocadas pessoas que eram contra o apartheid, ativistas políticos (até o Gandi ficou preso aqui) e também aquelas que, de alguma forma, não seguiam as regras impostas, bem, isso na teoria.

Quem eram os prisioneiros?

Os prisioneiros políticos eram alojados aqui até o julgamento e, depois, eram enviados para Robben Island ou Pretória. Muitas mulheres negras foram presas por produzirem cerveja – que era ilegal para os negros – ou até mesmo por ter relações com homens brancos.

Procurando hotel? Reserve aqui em parceria com a Booking.com!

Embora houvesse prisioneiros brancos, negros ou colored, (aqueles que eram descendentes de povos da Ásia, como Malásia e Índia) homens e mulheres, e que cometeram (ou não) diferentes crimes, a ração diária de cada uma dessas pessoas dependia da raça a qual elas pertenciam. Você já deve estar imaginando qual deles recebia mais comida e com mais variedade…sim, o branco.

A Seção 4 ficou famosa por ser o local onde os prisioneiros negros eram levados por terem cometido “crimes” como não andarem com a sua documentação. As salas possuíam apenas uma pequena abertura e nenhuma higiene.

Obviamente, dentro do próprio sistema carcerário havia hierarquias: os chefes da cela recebiam alguns pequenos privilégios, como um sofá feito com os cobertores de todos os outros presos para “relaxar” durante o dia. Nelson Mandela costumava dizer que ninguém conhece realmente uma nação sem conhecer suas prisões…

A prisão foi desativada apenas em 1987 e foi reaberta como museu em 2004. Hoje em dia, ali há também o Tribunal Constitucional da África do Sul, onde alguns casos especiais são julgados.

Informações

Passe: As visitas são guiadas e há durações variadas (de 1 a 3 horas). O tour mais popular, com apenas os pontos mais importantes, é de 1h e custa 65 rands por pessoa. 

Como chegar: uma opção é usar o ônibus vermelho de dois andares.

Sitehttps://www.constitutionhill.org.za/

*Agradecimentos a South African Airways, South African Tourism e Gondwana Game Reserve por mais uma viagem linda pela África do Sul

Curta e compartilhe

Tags from the story
,
More from Deise de Oliveira

Burgermeister: a melhor hamburgueria em Berlim

A hamburgueria Burgermeister é considerada por muitos locais como a melhor hamburgueria...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *